Internet deverá ter média de 60% da velocidade contratada, diz Dilma

10 de setembro de 2012

A presidente Dilma Rousseff disse na manhã desta segunda-feira (10), durante seu programa de rádio “Café com a presidenta”, que o governo vai cobrar maior qualidade das empresas que prestam serviço de banda larga no país.

 

De acordo com a presidente, a partir de outubro, as empresas serão obrigadas a fornecer, em média, 60% da velocidade de internet contratada. Atualmente, disse Dilma, há casos em que os consumidores têm recebido apenas 10% da velocidade de rede que pagam para ter acesso.

 

Essa exigência de qualidade no serviço vai aumentar e, até 2014, as empresas terão que oferecer, em média, 80% da velocidade contratada ao dia.

 

Assim, se um consumidor paga por 10 mega em uma banda larga, ele deverá receber, ao longo do dia, uma média de 6 mega de velocidade até outubro e 8 mega até 2014.

 

Para fazer as empresas cumprirem essas metas, a Anatel começou a cadastrar voluntários para medir as velocidades e a estabilidade das conexões. Eles vão receber pequenos aparelhos que deverão ser conectados à rede de internet para mensurar os dados.

 

Segundo Dilma, 12 mil voluntários serão sorteados. Com isso, o governo pretende fazer um mapa sobre como está funcionando a internet no Brasil. Segundo Dilma, o país tem atualmente 78 milhões de conexões de banda larga, sendo que 59 milhões são de internet móvel, como celulares e computadores portáteis. As outras 19 milhões de conexões são em banda larga fixa.

 

A inscrição dos voluntários deve ser feita pelo site da Entidade Aferidora da Qualidade (EAQ) (clique aqui para acessar). A presidente também citou o Plano Nacional de Banda Larga, que pretende levar internet rápida e barata para as famílias brasileiras.

 

Fonte: G1, em São Paulo

Twitter
Fotos
  •